cinta modeladora

4 cuidados necessários na hora de utilizar uma cinta pós-parto

É bastante comum que, após darem à luz, muitas mulheres tentem uma lista de métodos diferentes para recuperarem o corpo que tinham antes da gestação. Um dos itens mais utilizados durante esse processo é, sem dúvida, a cinta pós-parto.

Mas se você acha que o uso das cintas é uma novidade no mundo das grávidas, está enganada! Esse método, na verdade, já é utilizado há décadas. Antes das cintas pós-parto existirem, era comum que as mulheres utilizassem panos para amarrarem toda a região abdominal, após o nascimento de um bebê.

Naquele tempo, as pessoas acreditavam que esses panos apertados poderiam reduzir o inchaço e, até mesmo, oferecer apoio para as costas.

Voltando para os dias atuais sabemos que, durante a gravidez, as paredes do abdômen se esticam para acomodarem o útero, que está em crescimento. Há também uma quantidade considerável de células adiposas que se acumulam na região. Com essa sobrecarga, os músculos não conseguem voltar ao lugar após o parto, deixando a pele flácida e destacando a gordura.

Ou seja, usar uma cinta específica ajuda a manter a rigidez e a fortalecer os músculos, sendo um item quase que indispensável para as futuras mamães.

Então, se você está nesse processo ou entrará nele em breve, chegou a hora de descobrir alguns cuidados necessários na hora de utilizar a sua cinta pós-parto.

Vamos lá?

Conforto é fundamental

Quando falamos de cintas pós-parto, a compressão pode parecer o ponto mais importante. Mas não confunda as coisas. A ideia não é ter a cintura modelada ou esculpida, mas conseguir um “apoio” para a região abdominal, aliviando até mesmo, eventuais dores locais.

Por isso, fique de olho em modelos ajustáveis e mais elásticos, que possam se adaptar ao seu corpo durante o período após o nascimento do bebê. Lembre-se que, se a sua cinta lhe causar dor na hora de vestir, você provavelmente vai acabar desistindo do processo.

Escolha o tamanho ideal

O design das cintas pós-parto permite que elas sejam constantemente reajustadas, além de se adaptarem aos mais diferentes tipos de corpos.

Para escolher o tamanho ideal, é só tirar a medida ao redor do abdômen, na altura do umbigo. Mas não se esqueça: logo após o parto, a mulher elimina cerca de 5 quilos, já que o corpo perde sangue, fluídos, líquido amniótico e, é claro, está sem o peso do bebê.

Escolher o tamanho certo pode garantir que você use a cinta pós-parto por mais tempo, conseguindo os resultados que tanto espera como, por exemplo:

– Retorno do útero ao tamanho normal;
– Suporte abdominal;
– Melhora na postura;
– Tonificação dos músculos do abdômen;
– Diminuição do desconforto da região, durante o pós-parto;
– Aumento da autoconfiança;
– Motivação para alcançar suas metas de peso e medidas após o parto.

Tempo recomendado para o uso

Quando se trata de uma cinta pós-parto, o mais recomendado é aumentar o tempo de uso aos poucos. Você pode, por exemplo, seguir um cronograma como esse abaixo:

Dia 1

Lembre-se que, o mais indicado é consultar o seu médico para saber o momento certo para começar a utilizar a cinta pós-parto. Porém, normalmente, esse tempo começa a contar assim que a mamãe recebe alta hospitalar.

Você pode tirar o primeiro dia para testar o uso da cinta, ficando com ela por cerca de 30 minutos a 1 hora. Para isso, escolha um horário do dia em que você esteja mais relaxada e confortável.

Evite fazer muitas atividades, pelo menos no início do uso da cinta pós-parto. Por outro lado, amamentar o seu bebê durante esse período não será um problema. Você pode fazer isso tranquilamente, certo?

Durante esse tempo, preste atenção em como você se sente utilizando a peça e fique de olho em como a pele e o corpo estão com relação a pressão ao redor do abdômen.

Dia 2

No segundo dia de uso da cinta pós-parto, o recomendado é aumentar o tempo para de 1 a 2 horas. Durante esse período, caso a cinta suba um pouco, basta recolocá-la no lugar, para garantir os resultados esperados.

Se, por acaso, você não conseguir atingir as 2 horas de uso, pode optar por utilizar 1 hora durante a manhã e 1 hora durante a tarde, sem problemas.

Dia 3

A essa altura, você provavelmente já estará se sentindo mais confortável com o uso da cinta, logo conseguirá ficar mais tempo com a peça. Por isso, tente permanecer com a cinta pós-parto por pelo menos 4 horas. Não retire a cinta, a menos que seja realmente necessário.

Dia 4

Pronto, agora você finalmente estará pronta para usar a cinta pós-parto por longos períodos, sem desconforto. A ideia é aumentar pelo menos 1 hora de uso por dia, até o máximo de 8 horas.

Mas, caso o seu processo seja um pouco mais lento, não se preocupe. Cada mulher é diferente e está tudo bem seguir o seu próprio ritmo.

O ideal, é utilizar a cinta pós-parto por até 4 meses após dar à luz. Lembre-se que, quanto mais cedo você começar a utiliza-la, mais cedo terá os resultados que espera. Portanto, não espere muito para começar o processo!

Higienize corretamente a sua cinta pós-parto

Você pode (e deve) lavar sua cinta pós-parto, porém, é preciso seguir alguns passos para garantir a qualidade da peça por mais tempo. Por exemplo:

– Lave à mão, com água fria e detergente suave ou neutro;
– Seque à sombra;
– No caso de manchas no tecido, você pode usar um truque simples. Basta mergulhar a cinta em um pouco de água, com água oxigenada. O peróxido da água oxigenada é um excelente agente clareador natural e não estraga a peça;
– Evite utilizar máquina de lavar ou de secar no processo;
– Não use alvejante com cloro.

Quando a higienização é feita da forma errada, a cinta pós-parto pode perder a compressão e a eficácia. Portanto, muito cuidado!

Acredite, você vai se surpreender com os resultados que essa peça pode trazer ao seu corpo.

Gostou das dicas? Então, que tal aproveitar para conhecer a nossa linha de cintas pós-cirúrgicas e de amamentação? É só clicar aqui.