cinta modeladora

X maneiras de manter sua autoestima

A autoestima é uma experiência pessoal e essencial para uma vida satisfatória. Ela influencia a maneira como cada um lida consigo mesmo e com o mundo.

Pode ser definida como a imagem de si: o que alguém pensa ou sente ao próprio respeito, a autoavaliação relacionada aos seus sentimentos e comportamentos.

Para o pai da psicanálise, o austríaco Sigmund Freud, tudo que o sujeito faz ou realiza ajuda-o a aumentar sua autoestima e conferir um valor positivo sobre si mesmo.

É uma característica fundamental para o bem-estar físico e mental de qualquer pessoa, pois quem gosta de si tende a ter uma vida mais satisfatória e feliz.

Quem possui uma autoestima elevada costuma ser mais forte emocionalmente, resistente a adversidades e convicto sobre o próprio potencial de realização.

Preparamos 10 dicas para você melhorar sua autoestima. Boa leitura!

Livre-se da culpa

Esse é um dos grandes vilões da baixa autoestima. Fazer algo e se arrepender ou se punir por não ter feito algo são atitudes que geram sentimento de culpa desnecessária.

Ela também persegue quem passa por uma situação que não gostaria e começa a se culpar por, supostamente, não ter forças para se livrar do problema.

Tente eliminar esse sentimento, mesmo que não seja fácil, faça um esforço. Perceba o mal que está fazendo a si mesmo ao se atribuir tanta carga negativa. Veja-se através de lentes mais generosas.

Não se compare com os outros

O mundo atual estimula a competitividade e nos faz pensar que só vamos ser bem-sucedidos profissionalmente quando superarmos o sucesso de outros.

Deixe todo o tipo de comparações para lá. Você é único, complexo, autêntico, tem sua própria personalidade, beleza, força, sentimentos e modos de se relacionar.

Ao ficar sempre se espelhando em outras pessoas, corre-se o risco de viver uma vida que não se deseja só por que acredita que é o que esperam de você.

As redes sociais intensificaram essa tendência a pensar que “a grama do vizinho é mais verde”. Lembre-se que nem tudo que está na internet é verdade. Há muitos influenciadores que criam um personagem e propagam uma vida supostamente perfeita.

Comparar-se com uma imagem falsa e que foi construída para transmitir uma impressão de estar tudo sempre bem não vai resultar em nada de bom para sua saúde emocional, pois vai pensar que não consegue viver como o mundo espera de você.

Não generalize suas vivências

Você não precisa pagar para sempre por um erro que tenha cometido. Muitas vezes somos perdoados por outras pessoas, mas não conseguimos perdoar a nós mesmos.

As prisões que inventam para nós não devem nos definir. Porém, é comum criarmos nossa própria prisão emocional e nos torturamos constantemente.

Liberte-se do passado, assim vai ficar livre para viver como quiser, sem amarras, rótulos, pré-julgamentos e censuras que limitam sua busca por felicidade.

Confie em si mesmo

Não espere que outras pessoas o motivem para agir e perseguir os objetivos. Encontre em si mesmo a força motriz para conduzir sua vida para onde deseja.

Deste modo, é mais fácil alcançar os objetivos, pois sua mente acredita no próprio sucesso e, dificilmente, vai ceder diante de críticas internas ou externas.

Permita-se errar

Não foi bem na entrevista de emprego? Não passou na prova? Não se deu bem na paquera? Tudo bem. Não desanime, haverá outras oportunidades.

Um erro não deve ser um motivo para se punir para sempre. Se você consegue perdoar os outros, por que não consegue ter a mesma compaixão consigo?

Olhe para seus erros de forma mais humana. Ninguém é infalível. Desenvolver um olhar mais generoso com os próprios percalços pode ser uma chave para viver melhor.

Mexa o corpo

Um estudo revelou que praticar atividade física desempenha um papel importante na manutenção da autoestima. Exercitar-se gera benefícios à saúde física e mental.

Não é preciso passar horas na academia. Escolha uma atividade que lhe dê prazer, como uma caminhada, dança, ginástica, correr ou andar de bicicleta.

Fazer atividade física libera endormina no cérebro, o hormônio responsável pela sensação de prazer, bom humor, qualidade vida e sensações agradáveis.

Cuidado com as metas

É comum e saudável traçar objetivos diários, mensais ou anuais, porém, eles devem estar dentro de uma realidade tenha condições de ser alcançada.

Traçar metas impossíveis de serem realizadas gera frustração quando o esperado não acontece, pois geram sensação de fracasso e fere a autoestima.

Antes de se impor tarefas, pense no tempo e nos recursos que dispõe para finalizá-las. Se estiverem ao seu alcance, siga passo a passo, no seu ritmo.

<h9<Reconheça suas vitórias

Assim como se pune como errou, vire a chave e passe a se parabenizar todas as vezes em que algo deu certo em sua vida. Por menor que pareça a conquista, a valoriza como seu tivesse conquistado uma medalha olímpica.

Olhe ao redor e veja o que há de bom. É comum pessoas com baixa estima verem as coisas por um lado negativo. Dê valor para os mínimos prazeres.

Cultive as relações pessoais. Ter pessoas que gostam de você é uma vitória a ser celebrada. Não abandone aqueles que querem seu bem.

Seja sincero consigo mesmo

Não banque o Super-homem ou a Mulher-maravilha. Mentir para si mesmo só vai resultar na queda em situações conflitantes e que não dão bons frutos.

Seja sincero consigo mesmo e admita suas fragilidades e facilidades. Reconhecer que não é bom em algo é uma característica positiva.

Saber que não é especialista em algo diminui as expectativas e, quando algo não sai conforme o planejado, a sensação de fracasso não é tão intensa.

Procure ajuda

Não se sinta culpado por não conseguir melhorar sozinho sua autoestima. É improvável que alguém que viva há tanto tempo com determinado conflito chegue de forma solitária a uma resolução repentina.

Procure um psicólogo, um profissional especializado no trabalho com saúde mental, capaz de ajudá-lo a lidar com suas emoções e seus pensamentos.

Ao se ouvir falar sobre determinados temas, é possível refletir e dar novos significados a sentimentos e experiências que causem sofrimento, mesmo que tenham ocorrido há muito tempo.